O que realmente importa ao ser humano para que viva feliz e em harmonia?


Encarar a vida de forma despretensiosa é uma maneira simples de sintonizar-se com o tempo.


E o que vem a ser Wabi Sabi?


Na idade média, em oposição a nobreza, ao poder e a ostentação, os monges e sacerdotes japoneses participavam da cerimônia do chá, onde tinham acesso direto e intuitivo à verdade transcendental acima de qualquer concepção intelectual e materialista. Nestas cerimônias, utensílios rústicos eram utilizados para preparar e servir o chá. Estes utensílios eram de cerâmica, feitos de forma despretensiosa, minimalista, a base de argila e engobe, sem detalhes, queimados em fornos anagama e noborigama. Estes fornos queimavam as peças por mais de 36 horas em alta temperatura. O calor do fogo e a ação das cinzas das lenhas queimadas durante o processo de sinterização da cerâmica proporcionavam às peças formas, cores e efeitos assimétricos, imprevisíveis. A arte advinha das reações naturais da terra, água, fogo e ar; sem padrões de estética. Peças, que eram únicas, irregulares e imperfeitas, surgiam. Assim como tudo ao redor da cerimônia do chá, apreciava-se então a beleza destes utensílios que eram inacabados no tempo. A beleza modesta e humilde. A beleza das coisas não-convencionais...a beleza wabi sabi.

_____________________________________________________

Dicas:
1) Veja as últimas publicações clicando em: "Página inicial" no rodapé;
2) Veja as publicações anteriores clicando em: "
Postagens mais antigas" no rodapé;
3) Amplie as imagens clicando nas mesmas;
4) Veja também o site de artes plásticas do mesmo autor: www.alfredomilano.com.br

Obrigado por acessar o blog! Volte sempre!

Fotografias e Edição:

Alfredo Milano
Gonçalves-MG
Brasil

Quem sou eu?

Um indivíduo qualquer...

30/01/2012

A ARTE DA CRIAÇÃO

O sentido da existência da humanidade, em atos de liberdade e de criatividade difundidos através dos ritos e dos mitos, torna o homem o grande criador. O homem vê a sua divindade ao ser o criador do seu deus, que se torna referência do espaço, do tempo, do cosmo e da realidade, advindos da arte da criação.

Obs.: superfície de uma peça de cerâmica queimada em alta temperatura em redução no processo soda ash.

2 comentários:

  1. Alfredão...pensei que era a superficie de um planeta...show!

    ResponderExcluir
  2. Bonito demais, pensei o mesmo que o Arthur.
    Me apaixonei pelo seu blog!

    ResponderExcluir